Fundação Casa Grande


1 comentário

Casa Grande comemora 23 anos

9eb216_56cab9950a164fc69b8fc10f78561949A Renovação do Sagrado Coração de Jesus é o ato de renovar, abrir as portas da casa para o novo, festejar a existência, dia de comemorar mais um ano de morada naquele lugar.

A renovação na Fundação Casa Grande acontece todo ano, como uma data sagrada, momento de confraternização entre as famílias e amigos da Casa. Este costume foi preservado pelo casal de fundadores Alemberg Quindins e Rosiane Limaverde, que nesta data também comemoram seus anos de vida e trabalho dedicados a Fundação Casa Grande.

10363511_934894609856040_1048089707169463933_n

Rosiane e Alemberg

O dia da Renovação é escolhido para  renovar a ligação com o Sagrado Coração de Jesus, costume dos sertanejos da nossa região. Geralmente é uma data especial para os moradores da Casa. Cantos, rezas e pedidos com devoção singularizam a festa. Em toda Casa do sertão a Casa é tem suas cores avivadas nas paredes e flores para o santo. Na Casa Grande não é diferente, a festa começa cedo, com a pintura da Fundação. Na sala de entrada da Casa, a parede representa um santuário. Imagens retratam o Sagrado, transmitem a proteção precisa pra quem mora ali. Anualmente ocorre o ritual de enfeitar a sala principal com flores artesanais de papel, que colorem o altar dos santos.

 Em 1992, as portas da Casa Grande foram abertas pelas palavras de Antônio Maranhão recitando um poema de Olavo Bilac…

…“Aqui deves entrar como num templo. Com a alma pura e o coração sem susto. Aqui recebe da virtude um exemplo, aqui aprende a ser meigo e justo.[…]”

A partir daquele dia a Casa deixou de ser vista como abandonada e passou a ser habitada pela comunidade e principalmente pelas crianças, que logo tomaram de conta do lugar, dando cor, vida  e alegria a casa.

Em 19 de Dezembro de 2015, vamos festejar a existência de uma Casa que abriga o sonho de muitos meninos e meninas do sertão do cariri.

Conheça o blog da renovação:

http://renovacaocasagrande.wix.com/renovacao

 


Deixe um comentário

Turnê “Os Cabinha”!

HelioFilho-8762

A bandinha feita de lata surgiu nos primeiros anos de atuação da Fundação Casa Grande – Memorial do Homem Kariri quando foi realizado o “Festilata – Festival de Bandinhas de Lata”, que pode ser conferido no documentário “A Música do Brasil” de Belisario França. No inicio a bandinha chamava-se “Son in Banda de Lata”, mas o nome “Os Cabinha” conquistou simpatia ao lembrar a cultura oral do Cariri, em que a palavra “menino” se transforma em “cabinha”.

A primeira geração d’Os Cabinhas acompanharam Alemberg Quindins e Rosiane Limaverde em turnês do show “A Lenda”, em que aprenderam a tocar diversos instrumentos de corda e percussão. Quando cresceram decidiram criar uma banda instrumental que toca ritmos do nordeste – “Abanda”. Hoje Aécio Diniz, baterista na primeira geração da Banda de Lata, é baixista e percussionista, já circulou com os shows Trinhas U Som e Rua do Video pelo Brasil, Portugal, Itália, Alemanha, Espanha, Canadá e Estados Unidos. Para Aécio, fazer a produção musical da 5ª Geração da Bandinha de Lata é visitar o passado e plantar no presente, “Eu acredito na música desde de criança e no poder de formação que ela proporciona ao ser humano, hoje acompanhar a quinta geração da bandinha de lata, é um exemplo que podemos manter viva a formação musical para as crianças. Os Cabinha, tem liberdade de criar instrumento, transformar materiais reciclaveis em som. Hoje sou musico e ver esses novos talentos surgindo é uma alegria.

De geração em geração criam e recriam novas apresentações e intrumentos feitos de lata, madeira e garrafas. Com “Os Cabinha” tudo pode virar som e música, alegria e arte. Já na na quinta geração a bandinha reforça seu papel de experiência iniciante no universo musical compondo o repertório que apresentam; e a novidade desta formação é cantar algumas músicas em inglês. Thiago Rodrigues (9 anos), Yasmin Pereira (10 anos), Izaquiel Silva (10 anos), Thalles Henrique (12 anos) e Augusto Diniz (15 anos) fazem parte da atual formação. Para Thiago, o caçula da Banda participar da Bandinha é aprender a ser músico brincando com instrumentos, a voz e o corpo.

Através da Lei de Incentivo a Cultura, o patrocínio do Centro Cultural Banco do Nordeste e Realização da Fundação Casa Grande e Ministério da Cultura Os Cabinha irão circular as cidades de Nova Olinda, Juazeiro do Norte, Crato, Jardim, Missão Velha, Mauriti e Fortaleza no Ceará e Sousa na Paraíba.

Confira a agenda de circulação de “Os Cabinha” e participe!