Equipe de curadoria realiza pesquisas para montagem do Museu Casa Antônio Jeremias Pereira

whatsapp-image-2017-01-18-at-13-18-26

A equipe de curadoria do Museu Casa De Antônio Jeremias Pereira composta por jovens da Fundação Casa Grande Memorial do Homem Kariri realizou pesquisas acerca da história política do município e história de vida de Antônio Jeremias.

Foram meses de pesquisas e coleta de informações em campo, com entrevistas com pessoas da comunidade, pesquisas em acervo fotográfico e audiovisual.

Todo o acervo coletado será pré-selecionado e exposto nas três salas da Casa Museu Antonio Jeremias Pereira. A montagem foi realizada através do recursos do Prêmio Pontos de Memória do Instituto Brasileiro de Museus – IBRAM.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Anúncios

Inscreva -se Para o Curso De Pós-graduação Lato Sensu Em Arqueologia Social Inclusiva !

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU EM ARQUEOLOGIA SOCIAL INCLUSIVA

Promoção: Universidade Regional do Cariri, URCA, Instituto de Arqueologia do Cariri e
Fundação Casa Grande. Apoio institucional: Geopark Araripe, Universidade Federal do Piauí- UFPI e Centro de Arqueologia, Artes e Ciências do Patrimônio- CEAAC, Universidade de Coimbra, PT
INFORMAÇÕES NO SITE: http://especializacaoarqu.wixsite.com/socialinclusiva

Cartaz Final Curso arq.jpg

Blog de Flamínio Araripe Publica Sobre Turismo Comunitário da Casa Grande!

Flamínio Araripe publicou neste dia 17 de Janeiro de 2017 uma matéria em seu blog com o tema:  “Pousadas Comunitárias da Fundação Casa Grande atraem jovens do Sudeste para vivência na cultura do semiárido”.

dsc_3382
Texto e fotografia de Flamínio Araripe
As 12 pousadas comunitárias instaladas em casas de famílias de crianças da Fundação Casa Grande, em Nova Olinda, Ceará, receberam mais pessoas do Sudeste do que da região Nordeste em 2016. O turismo comunitário, um dos programas de empreendedorismo criados pela ONG que promove o protagonismo de crianças por meio da arte e cultura, atraiu no ano passado 370 pessoas para este município do Cariri cearense, que propiciaram geração de renda de R$ 190 mil.

O programa conta com 10 pousadas urbanas e duas rurais. Existe projeto para ampliação do número de pousadas este ano e para a instalação de ar condicionado nos quartos de hospedagem da rede em casas de família, disse o coordenador do programa, Francisco de Assis dos Santos. Em janeiro, segundo ele, metade das pousadas deverão receber aparelho de refrigeração no quarto, que já conta com frigobar.

Este programa de geração de renda familiar da Casa Grande teve origem com hospedagem domiciliar improvisada na casa dos meninos em 1998 para atender o fluxo de pessoas que procuravam participar de atividades na instituição. Em 2002 foi formalizada uma cooperativa para tocar o programa, com a definição de missão e valores, com atuação até 2012, relata o coordenador.
Hoje, a atividade faz parte do programa de geração de renda familiar com a constituição de um Grupo de Pais e Amigos da Casa Grande que mantém outras atividades ligadas à ONG como restaurante, café, oficinas caseiras e artesanato local, informa Francisco de Assis dos Santos. As famílias que recebem hóspedes tiveram treinamento de camareiro e culinária do Sebrae por cinco meses para oferecer atendimento profissional com o quarto bem arrumado e boa alimentação.
Muitas casas têm quartos de hospedagem no quintal e contam com livros e gibis do acervo da Casa Grande. Da renda obtida, 10% fica para a sustentabilidade da Fundação. A ONG tem a maior gibiteca do Ceará, talvez do Nordeste, e conta com biblioteca e grande coleção de clássicos do cinema em DVD.
Através do blog turismocomunitariofcg.worldpress.com o visitante vê a foto de cada membro da família com os nomes e escolhe a casa onde quer ficar. Parte do fluxo de turistas do Sudeste vem da Escola Viva, de São Paulo, que tem convênio com a Casa Grande e cumpre um roteiro programado de visita à ONG em Nova Olinda com os alunos. O convívio com a cultura do povo do semiárido é tema de seminário com os estudantes que vêm conhecer a instituição e a sua gente.
Curioso para ler mais?

Nova Olinda Ganhará Um Novo Ponto de Memória!

16002940_1231731513561408_9137815951544871070_n

Dia 26 de Fevereiro Nova Olinda ganhará mais um Ponto de Memória: “Museu Casa de António Jeremias Pereira”, casa que viveu o criador do município.

A casa está sendo restaurada, aonde abrigará a memória de seu criador e a história política da cidade.

O projeto está sendo realizado pela Fundação Casa Grande através de um prêmio do Ministério da Cultura em parceria com a família Jeremias Pereira, formando assim o quinto museu da rede de eco-museu do Cariri no município.

Texto:  Alemberg Quindins

Veja a Programação do Cine Café Violeta Dia 13 de Dezembro!

CINE CAFÉ VIOLETA 🍿🎥

Dia 13 – 01 – 2017
Horário: 19h
Filme: Janela da Alma
Direção: João Jardim, Walter Carvalho

Dezenove pessoas com diferentes graus de deficiência visual, da miopia discreta à cegueira total, falam como se vêem, como vêem os outros e como percebem o mundo. O escritor e prêmio Nobel José Saramago, o músico Hermeto Paschoal, o cineasta Wim Wenders, o fotógrafo cego franco-esloveno Evgen Bavcar, o neurologista Oliver Sacks, a atriz Marieta Severo, o vereador cego Arnaldo Godoy, entre outros, fazem revelações pessoais e inesperadas sobre vários aspectos relativos à visão: o funcionamento fisiológico do olho, o uso de óculos e suas implicações sobre a personalidade, o significado de ver ou não ver em um mundo saturado de imagens e também a importância das emoções como elemento transformador da realidade ­ se é que ela é a mesma para todos.

16003237_1464010263611136_2701051687545571305_n

Confira Publicação Sobre as Crianças da Casa Grande no Catraquinha!

criancas-memorial

Confira a matéria escrita por: Catraquinha

A criança deve ser livre para fazer o que for de seu interesse, desde que não atrapalhe seu desenvolvimento, não agrida sua integridade física ou moral, a mantenha em segurança, e ainda tenha aprovação de seus responsáveis. Com base nesses princípios, o Memorial do Homem Kariri, em Nova Olinda, no sul do Ceará, dá a chance para que os pequenos guiem os turistas pelo local e ainda organizem toda a gestão do museu.

Segundo Alembergue Quindins, um dos fundadores do museu ao lado de Rosiane Limaverde, a ideia de ter a gestão do museu toda organizada e guiada pelos pequenos surgiu das próprias crianças. “Eles viam a gente recebendo e começaram a fazer o mesmo. Acho que é uma grande ferramenta para desenvolvimento de oratória, de organização, de autonomia e de autoconhecimento”, analisa.

O “trabalho” faz com que as crianças ajudem a preservar a história da região e adquiram mais aprendizado sobre suas origens. Com idade entre 5 e 12 anos, os pequenos ainda têm a chance de aprenderem aulas de rádio, expografia e museologia nos laboratórios do museu.

E ainda tem mais! Todas as crianças podem participar de escavações arqueológicas na região, coordenadas pelo memorial. A atividade, segundo Alembergue, faz com que os pequenos ajudantes auxiliem a encontrar e a elaborar explicações de novas peças para o museu, se tornando assim, parte de sua história e sua formação.

A casa onde se situa o memorial é de 1717 e fica em uma região de indígenas da etnia Kariri. Com a restauração, nos anos 90, o local passou a abrigar objetos doados e escavados no território, pesquisas feitas na região, pinturas rupestres, materiais arqueológicos e até mitológicos.

O Memorial do Homem Kariri atua em conjunto com sua mantenedora, a Fundação Casa Grande. Ao todo, mais de 500 meninos e meninas já passaram pelo museu, realizando diversas funções na cidade e ajudando a construir a relação com a comunidade e com suas próprias identidades.  

Fonte: Catraquinha

Acesse o site: https://catraquinha.catracalivre.com.br/geral/aprender/indicacao/criancas-sao-guias-turisticos-e-gerenciam-museu-no-ceara/

Confira a entrevista com Letícia Persíles e Geraldo Junior, Cantores do Show Horizonte!

 O show HORIZONTE aconteceu no dia 07 de janeiro de 2017 as 19h no Teatro Violeta Arraes em parceria com o Centro Cultural Banco do Nordeste e contou com a presença dos cantores Létícia Persíles e Gelado Junior.

O brincante, compositor, cantor e instrumentista Geraldo Junior, desenvolve um trabalho de música, dança e performance, assimilando diversas influências e linguagens que transitam livremente entre o tradicional e o contemporâneo.

Letícia Persiles foi a voz da banda Manacá, os olhos de ressaca da minissérie “Capitu” e Miriam, a protagonista da novela “Amor eterno amor.

15965135_1458139944198168_3181231058279619104_n

Letícia Persíles – Cantora e atriz

Letícia Persíles durante entrevista conta sobre seu novo trabalho HORIZONTE com Geraldo Junior, ela diz estar muito feliz e que é um grande prazer estar no show e na Fundação Casa Grande.”

Letícia diz começar a estudar a região através de suas pesquisas, momento que buscava inspiração para suas composições.”Comecei a estudar a cultura da região através do sebastianismo do nordeste, momento em que comecei a me encantar por toda a história e cultura da região. No inicio tive muitas dificuldades em encontrar informações sobre o sebastianismo.

“Estar aqui é muito bacana e gratificante.”

15941373_1458139947531501_5925774901042016830_n

Geraldo Junior – Cantor e Compositor

Geraldo conta sobre sua morada no Rio de Janeiro e ressalta: ” a áurea mágica que existe no Cariri”, ele chama de conexões com o mundo. Geraldo diz que o seu trabalho mostra um encontro com a arte e pela primeira vez esta sendo apresentado como um embrião na região do Cariri.

“Horizonte e por conta dessa ilusão de ótica e desta utopia que vai nos guiando, e ai agente falava sobre fronteiras, sobre deslumbrar o lugar onde agente quer chegar, um pensamento no mundo melhor. Esse show reúne o nosso pensamento com a arte!.”

Confira o 100 Canal: