A Fundação Casa Grande

A Fundação Casa Grande -Memorial do Homem Kariri é uma organização não governamental brasileira, sem fins lucrativos, que tem como objetivo proporcionar a crianças e jovens e seus familiares a formação social e cultural através da vivência em gestão institucional dentro dos seus cinco programas:

I. Educação Infantil;

II. Profissionalização de Jovens;

III. Empreendedorismo Social;

IV. Geração de Renda Familiar;

V.  Sustentabilidade Institucional.

The Casa Grande Foundation-Memorial to the Kariri People is a non-profit Brazilian NGO (non-governmental organization). Its objective is to provide a social and cultural education to children, youth and their families by means of providing hands-on administrative and other experiences within the institution’s five programs:

I.  Early Childhood Education;

II.  Professionalization Youth;

III. Youth Entrepreneurship;

IV.  Generation of Family Income;

V.   Financial Sustainability.

La Casa Grande por la Fundación Memorial Humanos Kariri es un brasileño organización no gubernamental, sin fines de lucro que tiene como objetivo proporcionar a los niños y jóvenes y sus familias a través de la formación social y cultural de la experiencia en la gestión institucional a través de cinco programas:

I. Jardín de infantes;

II.  Profesionalización de Jóvenes;

III. Jóvenes Empresarios

IV. Generación de ingresos de la familia.

V. La sostenibilidad financiera;

 

 

Anúncios

“A Bola” dos campos de Nova Olinda vai colorir as cidades de Santos e São José dos Campos

002 Post divulgação do projeto - APROVADO

A arte naïf de Alemberg Quindins chega, pela primeira vez, ao estado de São Paulo, fazendo “A Bola” rolar nos campos do Museu Pelé e do Museu de Esportes

A Fundação Casa Grande – Memorial do Homem Kariri, em parceria com a Associação Cultural de Apoio ao Museu Casa de Portinari (ACAM Portinari) e com o Sistema Estadual de Museus (SISEM-SP), instância da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Governo do Estado de São Paulo, abre no dia 9 de março, às 11h, a exposição “A Bola” no Museu Pelé, em Santos.

Fruto do Edital de Chamada Pública para Exposições Itinerantes da ACAM Portinari com o SISEM-SP, a mostra permanece em Santos até 25 de abril, quando segue para o Museu de Esportes, em São José dos Campos, onde fica em exibição de 29 de abril a 31 de maio.

005 Convite Santos - APROVADO (1)

“A Bola” traz 20 obras em acrílico sobre telas, do artista e curador cearense Alemberg Quindins, que reverencia a bola na infância, a protagonista dentro do campo de futebol que leva tristeza para uns e traz alegria para outros.

A bola perpassa tela a tela, interligando cenas e contando histórias, como as contas que correm em um cordão na ladainha de um rosário.

O universo visual tem como ambiente a década de 70, quando o artista gostava de ouvir os jogos pelo rádio, ver as imagens através da revista Placar e do Canal 100, cinejornal que passava antes dos filmes, nas sessões de cinema.

Nas telas, a bola se apresenta em três dimensões: na sombreada Telstar, em lances documentados por fotógrafos da época e em uma torcida naïf, presente nos desenhos de criança do autor, quando publicava revistinhas desportivas artesanais como repórter de campo de várzea.

A Placarzinha era uma revista em miniatura, com tamanho de 10cm, inspirada na revista Placar, criada (e produzida manualmente) pelo artista para documentar o cenário futebolístico da meninada. Aos domingos, Quindins circulava pelos campinhos da cidadee na segunda-feira pela manhã, mais umaedição estava pronta para ser apreciada. A molecada se esforçava em dribles e defesas, para seus feitos serem contemplados e sua presença começaram a ser solicitadas até mesmo nos jogos de futebol dos adultos, pois todos queriam ser citados e ilustrados nas páginas e pôsteres de sua revistinha.

Originais da Placarzinha, réplica da bola Telstar, fotografias e textos também fazem parte da mostra que circulará por terras paulistas.

Em 2016 a exposição A BOLA estreou na Galeria de Arte Luiz Gastão Bittencourt na Fundação Casa Grande – Memorial do Homem Kariri, localizado em Nova Olinda (CE), com a presença de Carla Niemeyer, produtora cinematográfica, filha de Carlinhos Niemeyer – produtor do cine jornal “Canal 100”, o mais importante registro do futebol brasileiro para o cinema. E em 2018 foi a vez do SESC Crato receber A BOLA para o grande público.

Agora, em 2019, A BOLA chega em terras paulistas, iniciando sua jornada no dia 09 de março em Santos, no Museu Pelé e no final de abril segue levando seu colorido e alegria para o Museu de Esportes, localizado em São José do Campos.

Alemberg Quindins é músico de formação popular, historiador autodidata, Fellow da Ashoka e Líder da Avina. Em 1992, restaurou a primeira casa grande da fazenda que deu origem ao Município de Nova Olinda (CE) e criou a Fundação Casa Grande-Memorial do Homem Kariri – Uma Organização não governamental que tem como missão educar crianças e jovens através da gestão cultural e do protagonismo juvenil. Como consultor do UNICEF, criou nos assentamentos dos sem-terra no Ceará e no Rio Grande do Norte, o projeto Vez da Voz com a implantação de irradiadoras para crianças e adolescentes, além de rádios escolas em várias cidades do Ceará. Na África, em Moçambique e Angola, criou a rede de jovens comunicadores da língua portuguesa. São mais de 30 programas “de criança para criança”, fortalecendo o protagonismo juvenil e o intercâmbio entre os países pares. Em 2007 foi consultor do Projeto Rumos do Itaú cultural. Por suas realizações já recebeu várias premiações, tais como: Prêmio de melhor projeto de educação e projeto mais criativo do estado do Ceará, das mãos do comediante Renato Aragão, durante a solenidade de entrega do selo UNICEF (2000); Medalha “Ordem do Mérito Cultural” do Ministério da Cultura (2004); Selo de responsabilidade social do governo do estado do Ceará (2006); Prêmio Valores do Brasil, do Banco do Brasil, em comemoração aos seus 200 anos (2008) e Prêmio empreendedor social da Folha de São Paulo (2009), entre outros.

Quindins também inspirou o diretor Guel Arraes e seu personagem “Xicó”, do filme “Auto da Compadecida, além de ter mostrado o Cariri cearense para o Brasil, através do Programa “Brasil legal”, da Rede Globo, com a apresentadora Regina Casé.

Futebol de Vidrinho

A paixão de Quindins pelo Futebol vem lá do início da década de 70. O artista conta:

“Nasci em uma época que as crianças construíam os seus próprios brinquedos ou comprava-os na feira . Cavalo de pau, carrinho de lata, pião e boi de barro fazia a festa da meninada. Meu pai era o farmacêutico da cidade e naquela época pegava tubos grandes de Mercúrio cromo e Mertiolate, diluía em pequenos frascos de Benzetacil e Penicilina para que as pessoas mais pobres pudessem comprar e levar para casa. Eu passava o dia na farmácia, no pé do birô de meu pai desenhando enquanto ele enchia os vidrinhos. […] meu pai vendo que gostava de futebol, criou um brinquedo com os próprios vidrinhos que trabalhava e denominou de Futebol de Vidrinho. Escolhíamos dez vidrinhos de Penicilina e Benzetacil para serem os jogadores de linha e um vidrinho mais gordinho

para ser o goleiro. Depois pegávamos papel, lápis de cor, tesoura e cola e pintávamos os uniformes dos times de futebol e colávamos nos vidrinhos, desenhando os emblemas na frente e os números nas costas. Riscávamos o campo de futebol no chão com um giz, fazíamos as traves de madeira e a bolinha retirávamos dos dosadores de litros de cachaça 51 […]” (texto retirado da resenha “Futebol de Vidrinho”, de Alemberg Quindins)

Quem visitar a exposição nos dias de abertura (09 de março em Santos e 29 de abril em São José dos Campos) poderá participar de um Bate Papo com o Artista e de uma Oficina de Futebol de Vidrinho, realizada pelos jovens da Fundação Casa Grande Joao Paulo Maropo e Aécio Diniz.

SISEM-SP

O Sistema Estadual de Museus (SISEM-SP), instância da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo, congrega e articula os museus paulistas, com o objetivo de promover a qualificação e o fortalecimento institucional em favor da preservação, pesquisa e difusão do acervo museológico do Estado.

ACAM Portinari

Fundada em 27 de novembro de 1996, a ACAM Portinari (Associação Cultural de Apoio ao Museu Casa de Portinari) administra, em parceria com a Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo, três instituições museológicas no interior pertencentes ao Governo do Estado: Museu Casa de Portinari (Brodowski), Museu Histórico e Pedagógico Índia Vanuíre (Tupã) e Museu Felícia Leirner/Auditório Claudio Santoro (Campos do Jordão). A ACAM, que tem sua sede em Brodowski, tem como principal objetivo o desenvolvimento da área cultural, particularmente a museológica, por meio das colaborações técnico-operacional e financeira. A instituição também apoia as ações do SISEM-SP (Sistema Estadual de Museus), com quem realiza importantes iniciativas, como oficinas de capacitação para museus, oficina de ensino à distância e, ainda, o Encontro Paulista de Museus.

SERVIÇO
Santos: Museu Pelé

Largo Marquês de Monte Alegre, s/n – Bairro Valongo, Centro Histórico. Funcionamento: de terça a domingo das 10:00 às 18:00 (encerra a bilheteria às 17:00). Tel.: 013 -3233-9670

Período de exposição: 09 de março a 25 de abril de 2019

Abertura: sábado, 09 de março de 2019 – 11h

• Bate Papo com o Artista – no auditório do museu, seguindo para uma visita mediada à exposição.

• Oficina de Futebol de Vidrinho – indicado para crianças de 8 a 13 anos. (vagas limitadas, mediante ordem de chegada – máximo 20 participantes)

São José dos Campos: Museu de Esportes

Rua Ana Gonçalves da Cunha, 340, Jardim Jussara (Estádio Martins Pereira, portão 2) Aberto de Segunda a sexta-feira, das 09 às 12 e das 13 às 16 horas (permanência até as 16:30)
Tel. (12) 3921-4112

Período de exposição: 29 de abril a 31 de maio de 2019

Abertura da Exposição: segunda-feira, 29 de abril de 2019 – 10h

• Bate Papo com o Artista – no auditório do museu, seguindo para uma visita mediada à exposição.

• Oficina de Futebol de Vidrinho – indicado para crianças de 8 a 13 anos. (vagas limitadas, mediante ordem de chegada – máximo 10 participantes)

Atendimento à imprensa
Fundação Casa Grande – Memorial do Homem Kariri

Natalia Moriyama: (11) 98346-7064 | ntm.projetos culturais@gmail.com

Outras Palavras Comunicação Empresarial – Sistema Estadual de Museus (SISEM- SP)
Ana Cândida Tofeti: (16) 9 9128-9419 / anacandida@outras.com.br
Lucas Lourenço: (16) 9 9209-9004 / lucas@outras.com.br

Telefone: (16) 3610-2554
Site: http://www.outras.com.br Facebook: facebook.com/opalavras

Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado – Assessoria de imprensa

Stephanie Gomes – (11) 3339-8243 – stgomes@sp.gov.br

26 anos da Fundação Casa Grande

helio-filho-2038

A Fundação Casa Grande comemora 26 anos de história, em Nova Olinda, com programação diversificada, no período de 14 a 19 de dezembro.

 

Atividades de conclusão do Curso de Especialização em Arqueologia Social Inclusiva e o II Encontro de Cultura, Artes e Ciências do Patrimônio juntamente com rodas de conversa, show da banda de lata Us Cabinha e desfile de moda para apresentar as coleções Alemberg Quindins (Fabiana Barbosa e Safira Rosa) e Reis do Cariri (Filipe Alves) estão na programação. O fundador da Fundação Casa Grande, Alemberg Quindins, receberá na ocasião, o título de Doutor Honoris Causa da Universidade Regional do Cariri.

renovação1-620x385

A Renovação, como é conhecida a comemoração, acontece a cada ano, desde a origem da entidade, e se constitui como um momento de confraternização entre as famílias e amigos da instituição.

Entre os destaques da programação está a ornamentação das flores do Altar na Sala do Coração de Jesus que acontece na noite do dia 18.12. Na Casa Grande a solenidade é realizada na sala de entrada, cuja parede frontal transforma-se em um santuário, todo ornamentado com imagens e outros elementos simbólicos da religiosidade, que retratam a fé e evocam a proteção aos moradores e visitantes.

 

Na tarde do dia 19 a cidade de Nova Olinda recebe o cortejo dos Grupos de Tradição Popular. É um dos momentos mais especiais da comemoração. Estarão presentes as bandas cabaçais dos Irmãos Aniceto (Crato/CE) e Padre Cícero (Juazeiro do Norte/CE); os grupos de Reisado do Meste Aldenir (Crato/CE), do Mestre Dodó (Juazeiro do Norte/CE) e do Mestre Antônio Luiz (Potengi/CE); o Maneiro Pau do Mestre Cirilo (Crato/CE); o Grupo Bacamarteiros da Paz do Mestre Nena (Juazeiro do Norte/CE) e o Grupo dos Penitentes de Barbalha (Barbalha/CE).

 

História e Memória

A história da Casa Grande começa na verdade 10 anos antes de sua fundação, em 1992, com as andanças do casal de fundadores Alemberg e Rosiane pela Chapada do Araripe. Nessas expedições, vendo, ouvindo e sentindo a mitologia do homem ancestral, documentando as lendas e achados arqueológicos, Alemberg e Rosiane já estavam idealizando o que viria ser a Casa Azul – espaço vivo de criação e produção cultural, que tem a valorização da infância como marca e que guarda fragmentos de memórias atemporais.

 

Confira a programação completa no link: http://renovacaocasagrande.wixsite.com/renovacao/2018

Abertura da Mostra SESC Cariri de Culturas na Fundação Casa Grande traz o show Moças

Em sua 20ª edição a Mostra SESC Cariri de Culturas em parceria com a Fundação Casa Grande traz em sua abertura o show MOÇAS, um grupo que destaca a importância da mulher na arte e na cultura, através de um repertório composto e/ou interpretado por mulheres que nos inspiram.

 O show aconteceu no dia 16 (quinta-feira) as 19:00h no Teatro Violeta Arraes, e trouxe uma energia contagiante e de grande pesquisa cultural, com instrumentação simples; cordas, percussões e vozes que compõem as releituras, e incorporam as influencias musicais das intérpretes, numa mistura de etnias e nacionalidades.

LucasNunes_3134
LucasNunes_2910
LucasNunes_3060
LucasNunes_3070
LucasNunes_2852
LucasNunes_2869
LucasNunes_2815

Museu Orgânico do Mestre Françuli é Inaugurado na Mostra Sesc!

Captura de Tela 2018-11-16 às 17.02.49

Em 15 de novembro foi inaugurado o Museu Orgânico do Mestre Fraçuli em Potengi-CE, uma realização do SESC e da Fundação Casa Grande, trazendo a história do mestre e seu trabalho como artesão, que conquista o Brasil e o mundo com a arte que parte de um sonho de voar!

 O Mestre Françuili sempre sonhou em voar e a partir desse sonho ele começou a fabricar miniaturas de aviões com flandre. A brincadeira se tornou sua profissão e, a partir do dia 15 de novembro, a sua oficina passa a ser um Museu Orgânico, onde o público poderá visitar e conhecer o seu trabalho e rotina.

 

Reunião de Produção da Mostra Sesc Cariri de Culturas

No dia 14 de novembro de 2018 aconteceu no Teatro Violeta Arraes Engenho de Artes Cênicas a reunião de produção da Mostra Sesc Cariri de Culturas.

Recebemos a equipe do Sesc Rio que veio vivenciar as nossas experiências!

Tivemos uma roda de conversa com Júnior, Alan e Filipe que falaram sobre a produção e as funções das equipes na mostra.

A agitação da noite ficou por conta da banda de lata Us Cabinha.

Fotos: Leticia Diniz (13 anos)

Vem ai Mais Uma Edição!

Captura de Tela 2018-11-14 às 13.11.13

E passo a passo, vai cumprindo a profecia. Do beato que dizia que o sertão ia alagar” *, assim diz o poeta. E cumprindo esse presságio, que onda a onda, um mar de manifestações artísticas invadiu a região do Cariri com a Mostra Sesc Cariri de Culturas, idealizada pelo Sesc Ceará, que nesse ano chega a sua vigésima edição, consolidada como um dos maiores eventos culturais do Brasil. A Mostra, que não possui caráter competitivo, acontece no mês de novembro durante cinco dias de efervescência cultural.

O chão quente do Cariri dá passagem para o cortejo com grupos de reisados, lapinhas, bacamarteiros e  até artistas circenses. Essa é uma das diversas manifestações artísticas e culturais que acontecem durante a Mostra, além das apresentações de teatro, circo, dança, exposições, shows musicais,  rodas literárias, performances poéticas, intervenções e mostras de cinema.

A Mostra, Caldeirão Cultural que reúne a sua volta gente que se alimenta de arte e conhecimento, em sua primeira edição atendeu 20 mil pessoas e em 2017 juntou 200 mil. Foram 260 atividades culturais gratuitas distribuídas em 28 cidades. Coisa de gente talentosa! E na Mostra é só o que existe! Tem os que fazem cordeis, xilogravuras, foto pintura, artesanatos em retalho, vinil e couro, tem os que nos fazem rir, refletir, sonhar…

Tem artista em cima do palco, pelas ruas, dando e recebendo aplausos. Artistas locais e de todo o Brasil, que encontram-se no oásis do sertão para promover e expor seus trabalhos, e para beber em uma das fontes de cultura mais ricas do país. Na busca da pluralidade, e alcançando os quatro cantos do Brasil,  foi que em 2012 a  seleção de propostas passou a ser feita por meio de edital , tornando o processo de inscrições dos trabalhos mais democrático.

Os sons das espadas dos reisados, das bandas de pífanos, do pop das guitarras misturam-se durante a Mostra, em perfeita sintonia. Os grupos de tradições como os congos, maracatus e de maneiro pau dançam num passo só, o passo da preservação da cultura popular. Desde a primeira edição da Mostra, esses grupos que ocupam um destaque importante são convidados a integrar o cronograma.

O calor de novembro, mês mais quente na região, mistura-se com a efervenscência cultural da Mostra. As pessoas  sentem no ar não só a quentura do sol, mas também das inúmeras manifestações artísticas que acontecem por todo lado. Esperada ansiosamente pelo povo, pois além de promover a cultura formando platéias; participar do papel socioeducativo e ambiental; também contribui com o desenvolvimento econômico  da região, aquecendo o turismo regional gerando emprego e renda. A região inteira do Cariri borbulha dentro desse Caldeirão Cultural.

Um povo que carrega desde o berço a cultura popular, pode ficar ainda mais  sabido, como se diz por lá, pois a Mostra oferece além das apresentações culturais, o Circuito Patativa do Assaré com espetáculos de rua,  e o  Seminário Arte e Pensamento que discute e reflete  sobre a produção artística e cultural brasileira, partilhando  formação para a comunidade, artistas e pesquisadores.

E foi lá do Cariri que o  “soldadinho-do-araripe”, um dos símbolos naturais da região, saiu voando direto para  transformar-se no ícone  da Mostra Sesc Cariri de Culturas, vinculando  cultura à valorização e preservação do patrimônio ambiental.

Mostra Sesc Cariri de Culturas, um mar de cultura que inundou o Cariri, esperando para ser desbravado!

*(trecho da música Sobradinho, de Sá e Guarabyra)